Fraldas de pano Modernas.

Olá, meninas…

Hoje venho contar uma mudança legal que fizemos na rotina, adotamos fraldas de pano moderna para segurar as necessidades fisiológicas do Pedro.

Confesso que a primeira vez que ouvi falar dessas fraldas achei uó, como assim ficar lavando fralda com um bebê pequeno e super dependente se você podia simplesmente jogar fora a cada troca?! Eu sei que não é um pensamento sustentável, mas eu tinha meio pânico de ter que ficar esfregando 8 fraldas de cocô por dia (no caso de RN).

Aí, eu virei mãe e Pedro foi crescendo, os cocôs espaçando, as trocas diminuindo e aquela sacola com várias fraldas no lixo começou a me incomodar muito. Algumas amigas já utilizavam a fralda de pano e de todas eu ouvi a mesma coisa: É super simples, “perco” 15 minutos entre lavar, jogar na máquina e estender, claro que o tempo da máquina não foi contabilizado *ahuahauhauah*

Comecei a me interessar, até que o Partejar Santista (grupo de apoio a gestante e ao parto humanizado daqui de Santos) fez um encontro para explicar como se usa as famosas FP.

Foi um encontro pequeno, num domingo chuvoso, mas foi super esclarecedor e me deu um gás pro teste, combinei com marido e compramos 3 fraldas e 3 absorventes sobressalentes pra testar.

A primeira vez que usamos foi no dia que Pedro completou 8 meses e vazou *hauahauhauahua*, eu apertei ela errado e vazou, mas demorou cerca de 4 horas pro acidente. Depois que uma amiga me ensinou “na prática” como fazer e os vazamentos diminuíram. Alguns que rolaram, acredito que a Fralda descartável também não teria segurado a onda, então ponto pra FP

Depois de uma noite de testes bem sucedidos decidimos que usaremos 100% de fraldas de pano, já providenciamos mais 3 com uma amiga que estava desapegando.

Agora estamos vendendo as fraldas que ganhamos no chá para comprar mais das PF, temos 6 fraldas e 9 absorventes.

Ainda não tô conseguindo usar 100%, mas estamos no caminho e volto aqui pra contar mais depois 😉

PS: Ainda não tenho foto das últimas aquisições, meu celular está em coma e a câmera do backup não rola. :/

2014-08-31 20.22.43

Anúncios

Abandonada!

Olá, meninas….

Nossa, quase um mês sem aparecer por aqui…

É que a vida andava um pouco “mais do mesmo”, nada de diferente e (confesso) uma preguiça GIGANTE de escrever e na última semana as voltas com o casamento do dia 19/10 (que foi lindo, emocionante e tranquilo)

Então, que uns 10 dias atrás apareceu um assunto que eu quero compartilhar com todas, só estava “maturando” ele pra contar. Dia 18/10 eu tinha consulta marcada com a GO “tipo” e seria nossa última consulta, já que o plano de saúde pelo trampo do marido deu certo e só estava esperando sair o número da carteirinha pra ir no médico humanizado mesmo daqui (todas comemora *o*), mas nessa consulta eu ia perguntar o valor do parto e ia conversar com ela sobre o parto, já que até aquele momento ela ainda não tinha tocado no assunto comigo… Aí vcs me perguntam, por que falar de parto com ela? Acho que curiosidade, já que ela se mostra (e mostram ela) como super top master blaster humanizada, queria realmente saber o que ela me falaria.

Eis que estou no conforto do meu sofá, afagando minha linda cachorrinha e na véspera da consulta a secretária dela me liga informando que meu plano está suspenso e ela pediu pra cancelar a consulta. Eu, atônita, disse: Tudo bem…. Vou ver se dá certo o plano do meu marido e qq coisa ligo pra marcar. A secretária disse Ok e desligou. Apesar de eu já ter o plano OK e a outra consulta marcada, fiquei chocada com o atendimento “humanizado” que foi desprendido a mim, até por que ela me “abandonou” com 29 semanas de gestação sem saber que eu tenho um plano B. Me indignei pensando nas outras gestantes que ela atendia pelo meu plano e que também foram abandonadas… Além de não ter me sido dada nenhuma alternativa pra continuar com ela, algo como: Já que estamos no final, ela só te cobrará 50% do valor da consulta ou um pacote dividido, mas ela estava tão preocupada comigo que nem isso foi sugerido.

Como disse em outros posts, um atendimento humanizado é humanizado do começo ao fim, vc sendo gestante ou não. Algumas pessoas falaram que poderia ser “coisa” da secretária… De qq forma, é responsabilidade da GO tomar conta dos seus pacientes.

A parte boa é que fui ontem na consulta com o novo médico (vou fazer um post sobre isso) e nós gostamos, já marcamos os exames pedidos e estamos tranquilos em nossa decisão =D

E assim, termino o capítulo com a GO Tipo Humanizada *hauahuahauhauahuahu*

Beijocas

BC – Como foi a escolha do nome do baby?

Olá, meninas…

Hoje vi essa blogagem coletiva lá no cantinho da Carol e como ADORO histórias de nomes eu vou contar a minha *hauahauhauahuaah*

Eu sempre quis ter um filho Artur (por causa o Rei Artur mesmo) e fiquei com esse nome na cabeça muito tempo, minha segunda opção sempre foi Pedro, por ser o nome do meu avô materno e por ter “quase” sido o nome do meu irmão mais novo. Essa segunda opção nunca foi divulgada, afinal eu queria um Artur.

Aí, quando começamos a pensar em engravidar, claro que o assunto nome surgiu e Artur não foi muito bem aceito pelo marido, uma por que um primo dele já tinha um filho com esse nome e outra por que teve um boom de “Artures” aqui em Santos, só nós conhecemos uns 5 entre 0 e 3 anos =D

Logo que parei de tomar o AC, meu marido sonhou que eu estava grávida e nesse sonho ele chamava a barriga de Pedrão. Desde então, se fosse menino seria Pedro.

Um tempinho depois de descobrirmos a gravidez ele sonhou de novo, mas o bebê já estava conosco e o pai continuava chamando de Pedrão, ou seja, mãe totalmente sugestionada que seria um menino *hauahauahuauh*

O tempo passou, confirmamos ser um menino mesmo. Pedrão óbvio, e aí veio a estória mais legal de todas:

Minha mãe é gêmea (não idênticas, malemá, parecidas) e a minha tia quase teve um Pedro também, ela queria que o filho tivesse o nome do pai delas, mas na hora do registro o pai colocou outro nome… Dias atrás (antes de ela saber que era menino) ela estava na casa del e pensou: Minha sobrinha está grávida de um menino e ele se chamará Pedro.

Minha mãe contou que ela teve uma crise de choro quando minha mãe contou do nome e tudo mais.

Eu adoro nomes que tem estória assim, de sonhos, “premonições” e acredito mesmo que essas coisas acontecem.

Espero que vocês tenham gostado as estorinhas *hauahauahuahu*

Beijocas

Sobre o Parto – Parte II a Decisão final!

Olá, meninas!

Eu sumi, né? Foi um misto de preguiça com dias cheios, mas agora voltei!

Continuando o assunto “Parto!”

No dia 10/07  fomos eu e marido ao local onde a obstetriz atende, a princípio íamos conversar com ela e com a enfermeira obstetra que trabalha junto com ela, mas a enfermeira teve que ir atender uma gestante que poderia estar em TP e não pode comparecer, ela me avisou e perguntou se queríamos alterar a data, mas estava tão ansiosa em sanar as dúvidas e ver como funcionava todo o negócio que preferi conhece-la logo e depois conheceríamos a EO.

Chegamos lá e uma mocinha com cara de 18 anos (ela tem 25 na verdade *hauahauhau*) nos atendeu, como já havia visto o perfil dela no facebook, reconheci. Ela é toda acelerada, fala rápido e sempre sorrindo, nos encaminhou a sala dela e conversamos por mais de 2 horas.

Ela explicou que se formou pela USP, que quando decidiu trabalhar com PD ela fez mais três cursos complementares: reanimação neonatal, reanimação da mãe e um, que eu não lembro o nome, que mostra tudo que pode dar errado durante um parto e como reverter o quadro sem ter que remover pro hospital ou os primeiros socorros até chegar ao hospital.

Contou também que quando se formou quis voltar a Santos e trabalhar aqui, onde a família dela mora e procurou hospitais para ser voluntária e GOs que ela sabia serem humanizados (inclusive um faz parte da equipe, caso a remoção pro hospital seja inevitável) e nisso ela conheceu a EO, ambas resolveram trabalhar juntas, sempre atendendo juntas.

Apesar da carinha de menina ela passa uma segurança que eu não senti em muitos GOs “renomados” que fui, ela também disse todo o procedimento pro registro do bebê após o nascimento e todos os “equipamentos” que elas levam para a cara da gestante. Ela acompanha os exames pré-natal para ver se tudo está ok, pois se não estiver ela mesmo indica um parto hospitalar. Também explicou como funciona depois que o bebê nasce.

Ficamos de ir na GO (já tinha a consulta marcada pra dia 15/07), pensarmos, vermos todas as opções e se decidíssemos pelo PD, falaríamos com ela.

Dia 15/07 fomos lindos e belos pra consulta com a GO (aqueeeeela que eu não tinha gostado no primeiro atendimento) e a consulta com ela foi legal, ela mediu, pesou, ouviu o bebê, fez anotações e tudo certo. A única coisa foi a DPP. Minha DPP (40 semanas) é dia 04/01, ou seja, a partir de 21/12 (38 semanas) todo dia é dia de nascer, quando ela viu a data me soltou a seguinte pérola: “Nossa, que época ruim de nascer, né? Natal, Ano Novo, não tem ninguém na cidade!” Eu e marido fizemos cara de alface e não falamos nada na hora.

Qdo fomos marcar a próxima consulta (que será amanhã) a secretária nos deu um papel que dizia que estávamos cientes que ela só estará a nossa disposição se pagarmos um valor que ninguém informou qual seria e que na próxima consulta ela me daria o contrato pra assinar.

Saímos de lá satisfeitos com a consulta, mas super decididos pelo PD.

Vamos continuar fazendo o pré-natal com essa médica mesmo, mas o parto será no conforto do nosso lar.

A princípio somente as mamães e irmãos que saberão que o parto será em casa, o restante da família só depois que nascer mesmo, vamos evitar a fadiga!

E foi assim, que de cesária, passamos ao parto normal, humanizado e em casa *hauahauahuahauahu*

Já to fazendo o post contando sobre o sexo… Confirmamos semana passada =D

Muitos Beijos e até logo!

Sobre o parto – Parte I.

Olá, meninas!!!

Duas vezes essa semana, to evoluindo! *kkkkkkkkkk*

Na verdade estava ansiosa pra contar pra vocês algumas resoluções que eu e o marido tomamos nas últimas semanas, quis esperar a consulta pra contar tudo com muitos detalhes.

Pelo jeito terei que dividir em dois posts, percebi que nunca falei muito sobre parto aqui.

Vamos começar do começo: Desde antes de engravidar eu já lia muito sobre gestação, por conta de uma amiga que teve gêmeos de parto normal e uma outra que resolveu ter um blog (sim, conheço a mãe do Bernardo desde 2 anos e meio de idade), foi por causa delas que eu mudei radicalmente de opinião quanto ao parto.

Inicialmente eu queria cesárea de qq forma, pois sempre sinto muita dor em tudo (tipo, tirar sobrancelha, sabe?) e minha mãe sempre disse que o PN era o melhor (ela teve quase 3, o último estava sentado a 27 anos atrás e a única forma que o médico dela conhecia pra virar, ela não quis e ainda fez uma ligadura de trompas, ela é tranquila com esse último parto pq teve TP quase completo.), que era dor sem vergonha, que depois que o bebê nascia a dor sumia e que a recuperação de cesa era beeeeem tensa, mas o meu pânico se sentir dor ainda falava mais alto (pq a gente nunca ouve a mãe mesmo???)

Aí as duas moças citadas acima tiveram seus bebês em lindos partos normais com poucas intervenções, comecei a seguir o Blog da Paty e a conversar muito com a mãe dos gêmeos sobre esse assunto e fui mudando de ideia, fui pesquisando, lendo, pensando e nesse tempo entendi que o melhor pro meu filho que viria seria sim o PN, de preferência humanizado. Logo já comentei com o marido e ele super apoiou, pois fez uma cirurgia de retirada de hérnia e, apesar de ser uma cirurgia menor e menos invasiva que a cesárea, disse que se dependesse dele eu nunca teria uma cesárea, pois a recuperação era mega restritiva (muito amor esse marido… <3)

Então, eu estava feliz e contente procurando um GO humanizado aqui pela baixada e que atendesse pelo plano, pq a $ tá meio curta e a gente já sabia que teria que pagar pelo parto (que não é barato), nessas buscas eu comecei a ler sobre as intervenções que os hospitais fazem no bebê, o colírio desnecessário, o bebê ser afastado da mãe, o risco de darem LA no berçário, além do receio de não deixarem meu marido acompanhar o parto… Nessa hora os hospitais não são assim, super confiáveis… Infelizmente!

No facebook sigo várias páginas sobre maternidade e na página “MenasMain” comentaram sobre um grupo ativista do parto humanizado chamado “Cesárea? Não Obrigada!“, me interessei e entrei lá pra olhar. Descobri um grupo nacional de apoio a gestante que deseja um parto humanizado, realmente muito legal.

Lá, eu vi o vídeo e o relato de parto do Blog Potencial Gestante e me apaixonei pelo parto domiciliar dela, eu sempre tive receio de assistir vídeos de parto natural, o dela foi o primeiro e realmente me surpreendi por ter gostado.

Comecei a pensar na ideia, mas os valores e equipes aqui na baixada ainda me eram desconhecidas, achava que se um parto estava entre R$ 2.500,00 e R$ 7.000,00 imagina um parto em casa, com toda a estrutura? Só a Gisele Bündchen pra conseguir =D

Então, lá nesse grupo eis que surge uma moça que teve uma cesárea desnecessária e o bebê dela teve que ficar por dias na UTI, pra ela foi muito traumatizante e grávida novamente ela decidiu pelo PD, quando disse que era de Santos ela conversou comigo, disse quanto estava pagando pelo PD e me deu os contatos.  Pensei: Agora é só conversar com o marido e ver o que acontece, já fui meio preparada pra brigar argumentar com ele.

Cheguei comentando da moça do grupo, dos valores que ela me falou , que ela me passou o contato da obstetriz e que eu estava pensando em PD por que não estava feliz com os procedimentos em relação aos bebês, ele (emponderado que é) ouviu e falou:

– Marca com ela, a gente vê como funciona, tira as dúvidas, conversa sobre espaço (ap com 70m2) e valores. Se a gente achar que é seguro, não vejo por que não fazer em casa.

Pensa na louca pessoa mais feliz do mundo… Logo marquei com a Obstetriz e com a Enfermeira Obstetra que atende com ela para nos conhecermos e tirarmos as dúvidas.

O encontro foi dia 10/07, mas vou deixar pro próximo post, esse já está muito gigantesco.

Se você chegou até aqui, tem minha eterna admiração *hauahuahauahuahua*

Muitos Beijinhos e logo volto com a continuação.

Bom fim de semana!

Ainda não foi dessa vez!

Olá, meninas!!!!

Como foram de Ano Novo? Aqui foi tudo mto legal… Fogos na praia, família reunida, camarões no almoço *kkkkkkkkk*

No dia 06/01 a Miss Red resolveu me acordar com uma cólia fenomenal, fazia muitos anos que não sentia uma cólica tão forte. Fiquei 2 dias a base de remédio.

Eu não me decepcionei com a vinda dela, eu tenho 2 (louca, eu?) apps que mostram o período fértil no cel eu sabia que as nossas “brincadeiras” só haviam coincidido com dois dias férteis, confesso que eu achei que poderia ter sido, mas também achei bom não ter sido já.

Estamos no aguardo de umas mudanças (que eu conto depois que acontecer) e eu acho que a descoberta de uma gravidez agora seria meio tumultuado. Eu continua com o AF (que me engordou 2Kg), não pretendo voltar a tomar o AC, mas também não estou tentando ativamente.

E ainda tem o agravante de que eu tenho pânico de ter o bebê no verão. Minha irmã nasceu no verão, com 1 semana ela ficou internada com desidratação, pois não conseguia mamar. Além de ver as amigas comentando do calor, do inchaço, que dá alergia, que incomoda… Tirando que coitado do bebê nascer no verão de 47º de Santos.

Resumo da ópera: Tentar ativamente mesmo só lá pra Junho. Até lá a gente vai treinando sem restrições *kkkkkkkkkkk*

Muitas Beijocas e um ótimo sábado a todas!

Na concentração…

Olá, meninas…

Todas aproveitando o mega feriado?

Aqui amanheceu um sol LINDO e acho que daremos uma andadinha na praia mais tarde pra firmar o bronze *kkkkkkkkk*

Ontem fomos padrinhos de casamento, uma cerimônia linda demais, super emocionante. Adoro casamentos e sermos convidados pra padrinhos desse casal foi muito legal… Vou tentar colocar alguma foto que não me denuncie =D

Ontem também “decidimos” parar com o AC!

Peguei meu exame de urina e a cultura deu: “Não houve crescimento de microorganismos”, ou seja, tudo certinho.

Deveria ter iniciado a cartela sexta, mas esqueci de comprar e cheguei de SP só pó, ontem com o casamento (que foi cedo e na cidade vizinha) me enrolei com o horário e ignorei o remedinho. Voltando do casamento, decidimos não iniciar essa cartela, pois sexta (23/11) eu vou ao médico… Continuaremos com outros meios contraceptivos até o “doutor” dar o OK final a parada do AC.

Agora é só concentração para a largada oficial!

Será que virarei tentante esse ano ainda? Eu e o marido esperamos que sim.

Muitos Beijos e aproveitem o restante do feriado GIGANTE!!!!

Enquanto isso….

Olá meninas!

Enquanto não chega o dia da nova consulta com o GO (14/11), vamos papeando por aqui, néan?!

Essa será minha última consulta com esse GO, em agosto quando fiz minha primeira consulta pensando já em engravidar ele me passou os exames e eu já perguntei o que ele achava sobre parto normal, as respostas dele foram dignas da página Moça, teu GO é cesarista.

 

ImagemPrimeiro ele disse que achava PN ótimo, mas que o TP duram em média 12 horas de dores muito fortes onde o útero se expande para o bebê sair, depois que havia feito um parto normal em uma oriental e ela aguentou as dores sem reclamar, porém uma das pacientes (brasileiras) dele não aguentaram nem uma hora de dor e pediram a cesária, nesse momento eu disse que tinha amigas que tiveram parto natural, ele me interrompeu e disse que a vida sexual é muito importante nos dias de hoje e que a vagina tem em média 3 cm (ele fez uma forma juntando o polegar e o indicador) e passará um bebê de 3.000 Kg em média ou seja, a vagina não voltará ao normal então eu teria que discutir isso com o meu marido e não com minhas amigas. Argumentei que uma amiga teve gêmeos de PN e não teve problemas, ele rebateu com: gêmeos são menores, bebês até 2.500 Kg não causam tanta dilatação e a vagina volta ao normal.

Sai dessa consulta bem decepcionada, mas realmente achei que ele só estava tentando me mostrar a realidade do PN, mas depois que a ficha caiu mesmo, percebi que se fosse uma pessoa “alienada” ele teria me colocado um medo irracional do PN, mas o que ele não sabe é que eu tenho me informado muito sobre o assunto e ele não me assustou, apesar do medo de sentir dor =D

Voltei lá com os exames como contei aqui, mas não toquei no assunto e deixa ele achar que ainda serei paciente dele, realmente não estou a fim de comprar essa briga, prefiro mudar antes. 

Conversei bastante com minhas amigas e com a minha mãe que teve PN e elas me tranquilizaram, disseram que dói bastante sim, mas que depois que o bebê sai a recuperação é ótima e principalmente pro bebê é a melhor opção.

Consegui uma médica indicada por duas amigas e num blog de uma doula da cidade onde moro, mas só consegui marcar para dezembro. Como ainda estou na fase de pré – tentante, marquei e vou lá dia 11/12.

Meu marido super me apóia em relação ao parto, sempre separo várias matérias e depoimentos de blogs pra ele ver. 

A “discussão” entre nós agora é sobre o aleitamento exclusivo até os 6 meses, ele acha que o bebê precisa sim de água antes disso… To separando algumas matérias pra ele ler sobre isso! Mas é assunto pra um outro post!

Beijocas e uma ótima e ensolarada semana!