E não é que ganhei um chá de Fraldas?!

Olá, meninas…

Tudo bem com vocês?

Antes de tudo quero registrar o quanto fiquei muito feliz com o nascimento do ParasiThomas da Carol, ela postou uma foto do momento que ele nasceu e o relato já está lá no Blog dela, lindo de tudo. Emocionante!

Passei aqui nesta segunda ensolarado pra contar que ganhei um chá de fraldas sábado… Marido, sogra e mamys que organizaram tudo, chamaram algumas amigas e familiares e me enganaram direitinho. *ahuahauahauhau*

Eu e marido adoramos festa, mas a nossa lista do chá estava em 200 pessoas, ou seja, impensável fazer uma “festa” pra esse tanto de gente. Me sugeriram tirar os homens da festa e fazer um chá “tradicional” só com a mulherada, isso diminuiria a lista sim, mas além de eu não gostar de festas nesse formato, eu acho muito injusto deixar o marido e nossos amigos de fora. Ainda mais um marido que vai em todas as consultas, USs, exames e é mega presente da vida desse bebê que ainda está quietinho na barriga. Por todas essas razões optamos em não fazer chá de fraldas.

Confesso que fiquei bem chateada de não poder fazer a comemoração, mas fui me entretendo com a arrumação do quarto a escolha do carrinho e acabou passando…

Ontem de manhã fomos definir o carrinho (tinha que ser um que coubesse no porta mala do carro, né?) e meu marido disse que umas 16h30 tomaríamos lanche na minha mãe, que ela havia convidado.

Ás 16h30 pegamos a Adele e fomos pra casa de mamys (que é na quadra de trás), quando abri a porta foi tudo meio rápido… Vi que a porta da cozinha estava fechada e o ar ligado (via de regra eles não ligam o ar, a casa da minha mãe é bem arejada e gelada), pensei: Os meninos estão com as amigas aqui, devem estar vendo filme na sala, então vi um carrinho de bebê azul e o segundo pensamento foi: Quem está aqui com bebê pequeno? Olhei pro lado e vi a prima do meu marido que teve bebê dia 16/11 e pensei: O que ela está fazendo aqui? (percebam o quanto demorou pra louca aqui entender o que estava rolando), aí vi a madrinha dele, a minha sogra, minha avó e caiu a ficha, virei pra ele e disse: O que é isso? O que está acontecendo? E então (finalmente) vi as lembrancinhas, a mesa arrumada, os docinhos e tudo azul e marrom. Tudo no maior capricho.

Não chorei na hora (mas choro agora lembrando), mas fiquei tão feliz de ver todo esse cuidado e todo carinho que as pessoas dispensaram a mim, pq sabiam que eu queria muito uma festa que não poderia fazer.

Foi tudo pequeno (acho que se tinham 15 pessoas era muito), de amigas só 5 (2 amigas do trabalho do marido, minha sócia, a madrinha do Pedro, a irmã delas) o restante família.

Foi mágico… Me senti muito amada por todos que estiveram lá conosco, que se dispuseram a ir e me fazer ainda mais feliz!

Tenho poucas fotos do dia ainda, preciso pegar na íntegra com a sogra e com as amigas que tiraram no celular, mas consegui pegar essas dos “faces” alheios *hauahuahauahuahauauh*

Beijocas

Mesa de Doces, Presente da Dinda e Adele de cantinho (arquivo pessoal)
Anúncios

Sobre o parto – Parte I.

Olá, meninas!!!

Duas vezes essa semana, to evoluindo! *kkkkkkkkkk*

Na verdade estava ansiosa pra contar pra vocês algumas resoluções que eu e o marido tomamos nas últimas semanas, quis esperar a consulta pra contar tudo com muitos detalhes.

Pelo jeito terei que dividir em dois posts, percebi que nunca falei muito sobre parto aqui.

Vamos começar do começo: Desde antes de engravidar eu já lia muito sobre gestação, por conta de uma amiga que teve gêmeos de parto normal e uma outra que resolveu ter um blog (sim, conheço a mãe do Bernardo desde 2 anos e meio de idade), foi por causa delas que eu mudei radicalmente de opinião quanto ao parto.

Inicialmente eu queria cesárea de qq forma, pois sempre sinto muita dor em tudo (tipo, tirar sobrancelha, sabe?) e minha mãe sempre disse que o PN era o melhor (ela teve quase 3, o último estava sentado a 27 anos atrás e a única forma que o médico dela conhecia pra virar, ela não quis e ainda fez uma ligadura de trompas, ela é tranquila com esse último parto pq teve TP quase completo.), que era dor sem vergonha, que depois que o bebê nascia a dor sumia e que a recuperação de cesa era beeeeem tensa, mas o meu pânico se sentir dor ainda falava mais alto (pq a gente nunca ouve a mãe mesmo???)

Aí as duas moças citadas acima tiveram seus bebês em lindos partos normais com poucas intervenções, comecei a seguir o Blog da Paty e a conversar muito com a mãe dos gêmeos sobre esse assunto e fui mudando de ideia, fui pesquisando, lendo, pensando e nesse tempo entendi que o melhor pro meu filho que viria seria sim o PN, de preferência humanizado. Logo já comentei com o marido e ele super apoiou, pois fez uma cirurgia de retirada de hérnia e, apesar de ser uma cirurgia menor e menos invasiva que a cesárea, disse que se dependesse dele eu nunca teria uma cesárea, pois a recuperação era mega restritiva (muito amor esse marido… <3)

Então, eu estava feliz e contente procurando um GO humanizado aqui pela baixada e que atendesse pelo plano, pq a $ tá meio curta e a gente já sabia que teria que pagar pelo parto (que não é barato), nessas buscas eu comecei a ler sobre as intervenções que os hospitais fazem no bebê, o colírio desnecessário, o bebê ser afastado da mãe, o risco de darem LA no berçário, além do receio de não deixarem meu marido acompanhar o parto… Nessa hora os hospitais não são assim, super confiáveis… Infelizmente!

No facebook sigo várias páginas sobre maternidade e na página “MenasMain” comentaram sobre um grupo ativista do parto humanizado chamado “Cesárea? Não Obrigada!“, me interessei e entrei lá pra olhar. Descobri um grupo nacional de apoio a gestante que deseja um parto humanizado, realmente muito legal.

Lá, eu vi o vídeo e o relato de parto do Blog Potencial Gestante e me apaixonei pelo parto domiciliar dela, eu sempre tive receio de assistir vídeos de parto natural, o dela foi o primeiro e realmente me surpreendi por ter gostado.

Comecei a pensar na ideia, mas os valores e equipes aqui na baixada ainda me eram desconhecidas, achava que se um parto estava entre R$ 2.500,00 e R$ 7.000,00 imagina um parto em casa, com toda a estrutura? Só a Gisele Bündchen pra conseguir =D

Então, lá nesse grupo eis que surge uma moça que teve uma cesárea desnecessária e o bebê dela teve que ficar por dias na UTI, pra ela foi muito traumatizante e grávida novamente ela decidiu pelo PD, quando disse que era de Santos ela conversou comigo, disse quanto estava pagando pelo PD e me deu os contatos.  Pensei: Agora é só conversar com o marido e ver o que acontece, já fui meio preparada pra brigar argumentar com ele.

Cheguei comentando da moça do grupo, dos valores que ela me falou , que ela me passou o contato da obstetriz e que eu estava pensando em PD por que não estava feliz com os procedimentos em relação aos bebês, ele (emponderado que é) ouviu e falou:

– Marca com ela, a gente vê como funciona, tira as dúvidas, conversa sobre espaço (ap com 70m2) e valores. Se a gente achar que é seguro, não vejo por que não fazer em casa.

Pensa na louca pessoa mais feliz do mundo… Logo marquei com a Obstetriz e com a Enfermeira Obstetra que atende com ela para nos conhecermos e tirarmos as dúvidas.

O encontro foi dia 10/07, mas vou deixar pro próximo post, esse já está muito gigantesco.

Se você chegou até aqui, tem minha eterna admiração *hauahuahauahuahua*

Muitos Beijinhos e logo volto com a continuação.

Bom fim de semana!

3/30 – Descreva sua relação com o pai de seu filho.

Olá, meninas

Hoje o sol brilha lindamente em Santos e eu to morrendo de cólica, ou seja, nada de bebê esse mês… Mas também a viagem ao Rio e talz foi bem na época do período fértil, esperaremos o próximo mês.

Vamos ao Desafio?

O de hoje (como vocês podem ver no título) é sobre o pai do meu(s) futuro(s) filho(s).

Nós nos conhecemos em 2005 quando ele iniciou a o curso de TI na mesma Universidade onde eu cursava o segundo ano de Administração, na época tínhamos o mesmo coordenador e o mesmo pediu a mim e a 3 amigas (que faziam parte do Diretório Acadêmico junto comigo) para recepcionar a galera de TI, pois o curso era “novo” (ficou uns 2 anos sem turma) e eles não tinham veteranos.

Fizemos isso e acabamos desenvolvendo uma amizade legal com os meninos de TI. Essa amizade foi se estreitando entre eu, ele e uma outra amiga. Trocávamos emails todos os dias (nós 3), na época eu era noiva e ele namorava a uma moça a um tempo. No meio da facu eu “troquei” de namorado e ele continuou com a moça.

Sempre senti uma “coisinha a mais” por ele, achava bonitinho e a gente brincava que dele devia ter pegada boa ser um bom namorado, pois era muito tranquilo, carinhoso e bonzinho, mas eu namorava e ele também e acabamos focando na amizade.

Formamos, paramos de nos ver todos os dias, mas continuamos a troca diária de emails.

Até que um dia, 8 meses após a formatura, estávamos eu e ele solteiros numa festa e acabou rolando um beijo, depois de muita conversa e uns copos de Vodca (da minha parte, ele não bebe), mas prometemos nunca deixar nada abalar nossa amizade, era só uma curiosidade!

Fomos ficando, ficando, ficando, terminamos… Ele namorou uma outra moça e eu sofri. Sofri mesmo, de verdade, igual a romance que tudo dá errado antes de dar certo. Tive gastrite nervosa, emagreci e ele terminou e voltamos.

Um ano depois de voltarmos, estávamos de casamento marcado, igreja fechada, festa escolhida, noivado com a família .. Hoje estamos juntos a 4 anos e 1 mês e completaremos 2 anos de casados em Maio.

Blog

Essa é a nossa história um pouco resumida, confesso….

A nossa relação sempre foi muito boa, brigamos sim, discutimos, nos desentendemos, mas sempre conseguimos chegar num “ganha-ganha”, como eu imaginava ele se mostrou realmente um ótimo namorado e está se saindo muito bem no cargo de marido *kkkkkkkkkkk*

Ele é sempre super carinhoso, dedicado, cuidadoso e super romântico… E tenho certeza que será um ótimo pai, ele tem adoração por crianças e está se preparando junto comigo pra essa nova etapa. Lê as coisas que eu mando sobre parto natural, amamentação prolongada, pais ativos, educação e essas coisas que as loucas tentantes que a gente pesquisa por aí.

Bom, acho que é isso…. Temos uma relação muito boa e essa é a nossa história!!!!

Te amo muito Mô!!!! (eu sei que ele não vai ver, mas fica registrado assim mesmo….)

Beijocas Meninas e até a próxima.