Voltando uma casinha!

Olá, meninas!!!

Com diz uma das minhas gaúchas “vamos voltar uma casinha”?

Os últimos dois posts foram sobre a descoberta e como estou me sentindo com a gravidez, mas preciso contar algumas coisas que estavam acontecendo antes dessa aceitação e felicidade toda.

Depois do negativo de Março nós estávamos decididos a parar de tentar, pois eu estava tentando uma recolocação no mercado pra dar um UP na situação financeira, além do pânico de ter filho no verão. As coisas que vendo/faço como autônoma estão indo bem, mas ainda não consigo tirar muito lucro dessa parte.

Porém, emprego aqui está complicado, quando aparecia algo na minha área o salário era muito baixo, tanto que estava procurando vagas em São Paulo e mesmo assim estava bem desanimada.

No mês de Abril tentei “pular” o período fértil que não deu certo, a Miss Red teria que aparecer por aqui dia 26/04 e nada. No sábado senti uma cólica e fiquei tranquila, a cólica continuou e nada da Miss Red dar as caras. Decidi que na segunda ia comprar um exame e fazer na terça de manhã, só que me chamaram pra uma entrevista em SP no dia 30/04. Aí, veio o dilema: Fazer o exame terça antes de subir ou na quarta de manhã?

Conversei com o marido e ele achou melhor fazer na quarta pra eu ir pra entrevista mais “de boa”. Fiz a entrevista, comprei o teste e voltei pra casa.

Na quarta de manhã foi como contei aqui, mas era um misto de todas as inseguranças juntas e ainda a possibilidade de um emprego bom, com ótimo salário e bons benefícios que eu não poderia aceitar.

No dia seguinte, depois de termos contado aos familiares, ao Dindo e as 4 Dindas e tentando fazer o post aqui que pensei mesmo sobre o que aconteceu.

Não sou religiosa, mas acredito muito em Deus e sempre ouvi que  “Deus nunca nos dá uma cruz mais pesada do que podemos carregar”. Se ele mandou esse bebê agora é por que tenho mesmo que insistir na parte autônoma, fazer virar o negócio com minhas sócias e por que eu e marido temos sim maturidade e condições de criar esse bebê da forma como achamos melhor.

Depois dessa “reflexão” e de refletir as muitas conversas que tive com as Dinas (antes de saber do bebê) aceitei a gravidez com muita felicidade. É um sonho realizado sim, é um estado de graça sim… Mesmo sendo um grãozinho de gergelim (segundo o Baby Center *kkkkkk*) já mudou muito nossas vidas e mudou pra melhor, mesmo tendo que dar uma segurada nas contas =D

Era isso que eu precisava contar a vocês…

Muitos Beijos

PS: Logo voltaremos com o relato da reação dos familiares, amigos e a primeira consulta… Ah, ainda tenho que terminar o “Desafio das 30 coisas”. Acho que aparecerei muito por aqui. *hauahuahauahuahuahau*

 

 

Anúncios

Ainda não foi dessa vez!

Olá, meninas!!!!

Como foram de Ano Novo? Aqui foi tudo mto legal… Fogos na praia, família reunida, camarões no almoço *kkkkkkkkk*

No dia 06/01 a Miss Red resolveu me acordar com uma cólia fenomenal, fazia muitos anos que não sentia uma cólica tão forte. Fiquei 2 dias a base de remédio.

Eu não me decepcionei com a vinda dela, eu tenho 2 (louca, eu?) apps que mostram o período fértil no cel eu sabia que as nossas “brincadeiras” só haviam coincidido com dois dias férteis, confesso que eu achei que poderia ter sido, mas também achei bom não ter sido já.

Estamos no aguardo de umas mudanças (que eu conto depois que acontecer) e eu acho que a descoberta de uma gravidez agora seria meio tumultuado. Eu continua com o AF (que me engordou 2Kg), não pretendo voltar a tomar o AC, mas também não estou tentando ativamente.

E ainda tem o agravante de que eu tenho pânico de ter o bebê no verão. Minha irmã nasceu no verão, com 1 semana ela ficou internada com desidratação, pois não conseguia mamar. Além de ver as amigas comentando do calor, do inchaço, que dá alergia, que incomoda… Tirando que coitado do bebê nascer no verão de 47º de Santos.

Resumo da ópera: Tentar ativamente mesmo só lá pra Junho. Até lá a gente vai treinando sem restrições *kkkkkkkkkkk*

Muitas Beijocas e um ótimo sábado a todas!