O Renascimento do Parto!

Meninas,

Post rapidinho pra contar que o documentário “O Renascimento do Parto” virá pra Santos essa semana…. TODAS COMEMORA!!!! \o/  *w*  *o*  *-*

Será exibido no Cinemark do Shopping Praiamar todos os dias entre 04 e 10 de outubro às 14h05.
(informação retirada daqui)

Já até olhei no site do cinemark pra garantir meu ingresso aloka, mas ainda não tem nada lá =(

Já que passei por aqui informo que eu e Pedro estamos ótimos e o único sintoma chatinho é a amiga (sqn) azia que está frequentemente aqui em casa.

Logo menos volto com a impressão sobre o filme e demais assuntos =P

Beijocas

renascimentop

Imagem retirada daqui

Anúncios

E as mães foram conhecer as parteiras…

Olá, meninas…

Tudo bem com vocês? Aqui tudo se adaptando a nova cachorrinha, ela ainda faz uns xixis fora do lugar e pega umas roupas que deixamos dando sopa, mas no geral ela é uma lady mesmo. Estamos adorando ter um rabo balançante em casa =D

No início do mês levamos as nossas mães para conhecer as parteiras, como eu já falei pra vocês, optamos pelo parto domiciliar assistido. Contratamos uma equipe que consiste em uma Obstetriz, uma Enfermeira Obstétrica e uma Doula (que é a fisioterapeuta que me dá aulas de Pilates).

Da família só contamos as mães que o parto será em casa, o restante da família acha que será normal, mas em hospital.

Explicamos a ambas qual é o procedimento do PD, como fica em caso de emergência, quem acompanhará o TP e tentamos tirar todas as dúvidas delas, mas achamos que seria legal elas conhecerem a equipe pra ficarem realmente tranquilas e tirar todas as dúvidas.

E lá fomos nós 4 conversar com elas e ambas foram muito legais em nos receber e tirar TODAS as dúvidas das mamães, inclusive tiraram umas nossas também *ahuahauahuahauh*

Explicaram como é o TP, como o marido pode ajudar, no que se resume o trabalho delas, quais “intervenções” elas fazem no bb pós nascimento, as diferenças entre o parto Hospitalar e o Domiciliar e quais as intercorrências que nos levariam para uma remoção.

Essa semana (antes do marido voltar a trampar) fomos dar uma olhada na maternidade, afinal o plano B tem que estar ok caso seja necessário…. A maternidade em si é legal, um quarto bom, com frigobar, armário, TV a cabo e wi fii. A enfermeira foi explicando onde era a sala de parto e o berçário (tinha um bb abandonado no bercinho aquecido só de fraldas, luva e meias, quietinho tentando colocar a mão na boca. Até onde eu sei esse bb (que tinha pouco mais de 1 hora de nascido) deveria estar enroladinho, não? ), que o bebê ficava lá até a mãe ter alta, o que girava em torno de 3 horas pq a anestesia demora um pouco pra passar e o pai pode acompanhar tudo pelo vidro ( :0 ), falou que quarto o horário de visita é das 9h00 às 21h00 e o pai pode dormir no quarto.

Perguntei do procedimento pra PN, aí ela: Ah, você vai tentar normal? (Eu contanto até 10….), respondi que sim. Ela disse que nesse caso o bb é avaliado pelo pediatra e a mãe tendo alta pra ir pro quarto o bb vai junto. Meu marido perguntou se poderia assistir ao parto sem problemas e ela disse que sim, é lei e completou: Como você vai tentar (grrrrrrr) PN, vcs ficam no quarto, qdo vc for pro pré parto ele não pode ir por ter mais mulheres na sala e na hora que tiver pra nascer a gente chama o pai.

Fingimos estar satisfeitos e fomos embora, plano B – Check

Eu e marido viemos conversando no caminho de volta que só iremos mesmo pro hospital em último caso, tipo uma das parteiras falar que não vai rolar mesmo esperar pra ter em casa. Espero ter força o suficiente pra não pedir analgesia (que só é dada no hospital) e conseguir meu PD sem nenhuma intervenção.

E assim foi a última semana de férias do marido… Pelo menos agora tenho a cachorrinha pra ficar comigo *hauahuahauahuahauhauahuahu*

Beijocas

A viagem a Porto Alegre e a chegada da Adele!

Olá, meninas!!!

Como vocês estão?

Nós aqui estamos ótimos, Pedrão crescendo visivelmente (a barriga parece que cresce todos os dias), marido de férias e uma nova integrante na família, nossa cocker inglesa Adele.

Antes, um relato sobre a viagem sonho a Porto Alegre no final de Agosto.

Como já falei aqui 200 vezes, nós temos muitos amigos gaúchos e juntamos quase todos esse fim de semana.

Aproveitamos as milhas que mamys tinha no cartão e fomos, os 3 rumo as terras gaúchas, levar a barriga pra conhecer uma terra que eu adoro, recheada de pessoas que eu amo muito.

Viajar grávida foi tranquilo, mas senti o “peso” de ter um serzinho dentro de mim nas caminhadas… Sempre que vamos pra lá caminhamos muito, ficamos num Hotel no centro justamente pra isso. Sempre tirei de letra os dias cheios e as noites de pouco sono (a gente sempre se junta num quarto pra papear), mas no sábado pedi arrego… Deixei de ir ao Mercado Público, que é um lugar que eu AMO, pra descansar e aguentar o pega de ir pro jogo do Grêmio à noite.

Sim, Pedrão já conhece a Arena do Grêmio. Estádio “padrão” FIFA e (claro) com cara de estádio europeu, foi um jogo tranquilinho Grêmio x Ponte Preta, pouco mais de 25.000 pessoas e uma Dinda gaúcha em êxtase, pois apesar de fanática ela nunca tinha visto um jogo do seu time de coração. Foi uma emoção sem igual poder proporcionar essa experiência a ela, ela chorou, gritou, xingou o juiz e no final voltamos lindos, belos e contentes pro Hotel.

Caso alguém esteja procurando um “par” bonito, vá a um jogo no RS. As meninas LINDAS, montadas, arrumadas e os meninos tão lindos quanto, eu e o marido ainda brincamos que deveríamos ter conhecido os lados de lá ainda solteiros *hihihihhi*

Domingo, fomos a casa da “vó” (gente, meu filho tem vós, tias e Dindas espalhadas, não reparem *kkkkkkkk*) gaúcha e comemos um típico churrasco deles, que é realmente diferente do daqui e tão bom quanto. Tomei chimarrão, comi carne, coração, linguiça e docinhos.

No aeroporto foi aquela choradeira tradicional, sempre volto arrasada desses encontros, não me conformo de morar longe =( Minha mãe que estranhou, pq não sou uma pessoa super chorona e emotiva, mas voltar do RS e ter que dar tchau pras duas Dindas e pra minha mãe gaúcha nunca é fácil.

No geral uma viagem deliciosa, recheada de presentes pro Pedro e muitas conversas na madruga, coração já apertadinho de saudades!

Quanto a nova integrante da casa, nós ganhamos ela de uma amiga que cria a raça.

O marido sempre foi alucinado por cachorros, ele AMA, brinca, rola, passeia e super sentia falta, mas eu ainda não achava que era hora. No início de agosto fomos a SP na casa de uma cumadi que tem cachorro e ela ficou com a gente na cama, brincou, fez festa e comecei a sentir falta de um serzinho de 4 patas por aqui.

Essa amiga sempre disse que quando a gente quisesse teria um filhotinho pra pegarmos, na quinta fomos busca-la. Ela é preta e branca, tem 8 meses e é mansa de tudo, muito amorosa, carinhosa e já está quase adaptada a nossa casa e rotina. Faz um xixi ou outro fora do lugar, mas passa o dia brincando com o ossinho e deitada na caminha que fizemos. Podemos sair sem crise que ela não fica latindo e nem destrói nada (ainda e espero que continue assim).

Pra finalizar uma fotinho dela brincando com a bolinha

Adele

BC – Como foi a escolha do nome do baby?

Olá, meninas…

Hoje vi essa blogagem coletiva lá no cantinho da Carol e como ADORO histórias de nomes eu vou contar a minha *hauahauhauahuaah*

Eu sempre quis ter um filho Artur (por causa o Rei Artur mesmo) e fiquei com esse nome na cabeça muito tempo, minha segunda opção sempre foi Pedro, por ser o nome do meu avô materno e por ter “quase” sido o nome do meu irmão mais novo. Essa segunda opção nunca foi divulgada, afinal eu queria um Artur.

Aí, quando começamos a pensar em engravidar, claro que o assunto nome surgiu e Artur não foi muito bem aceito pelo marido, uma por que um primo dele já tinha um filho com esse nome e outra por que teve um boom de “Artures” aqui em Santos, só nós conhecemos uns 5 entre 0 e 3 anos =D

Logo que parei de tomar o AC, meu marido sonhou que eu estava grávida e nesse sonho ele chamava a barriga de Pedrão. Desde então, se fosse menino seria Pedro.

Um tempinho depois de descobrirmos a gravidez ele sonhou de novo, mas o bebê já estava conosco e o pai continuava chamando de Pedrão, ou seja, mãe totalmente sugestionada que seria um menino *hauahauahuauh*

O tempo passou, confirmamos ser um menino mesmo. Pedrão óbvio, e aí veio a estória mais legal de todas:

Minha mãe é gêmea (não idênticas, malemá, parecidas) e a minha tia quase teve um Pedro também, ela queria que o filho tivesse o nome do pai delas, mas na hora do registro o pai colocou outro nome… Dias atrás (antes de ela saber que era menino) ela estava na casa del e pensou: Minha sobrinha está grávida de um menino e ele se chamará Pedro.

Minha mãe contou que ela teve uma crise de choro quando minha mãe contou do nome e tudo mais.

Eu adoro nomes que tem estória assim, de sonhos, “premonições” e acredito mesmo que essas coisas acontecem.

Espero que vocês tenham gostado as estorinhas *hauahauahuahu*

Beijocas

Menino ou Menina?!

Olá, meninas!!!!

Relendo o post anterior (adorei os comentários) percebi que esqueci de contar o sexo d@ serzinh@ que está dentro de mim…

Eu estava muito sugestionada a ser um menino, primeiro por que nunca me vi mãe de menina, segundo por que eu fiz a tal brincadeira da agulha (que deu certo com TODAS as primas do marido) e lá dizia que meu futuro bebê seria um meninão. Pra finalizar, marido sonhou duas vezes (SIM, 2x) que nosso bebê era um menino e ele chamava de Pedrão (que ele não sabia ser o nome do meu avô materno).

O tempo passou, fizemos uma US morfológica com 12 semanas e a médica “sugeriu” que seria um menino, mas que certeza mesmo somente após 16 semanas.

Como mudei pra médica “tipo” humanizada ela pediu um US gestacional e eu já estava com 18 semanas e queria muito saber se eu teria lacinhos ou chuteirinhas na minha vida… @ bb estava com sono (fiz o US às 7h00 da madrugada) nem se mexia muito, ouvimos o coração e por 3x fez questão de mostrar que o sonho do papai e a brincadeira da agulha estavam *música de suspense*

CORRETAS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE, vamos ter um meninão, o Pedro.

Todos muito felizes e levantando plaquinhas de “Eu já sabia” pelas mais diversas razões *hauahauhauahuahaua* Claro que ficamos felizes com a descoberta, já chamamos o bebê pelo nome e tudo mais.

Ainda não sinto o bebê mexer horrores, mas sinto partes mais duras na barriga várias vezes ao dia e muitas bolhas. Parece que ele está com um canudinho assoprando lá dentro *hauahauahuahau* Agora, basta meu marido chegar e colocar a mão pra ele saber direitinho onde o bebê está, ele fica todo se achando por causa disso!

De resto, tudo caminha bem… Completamos 20 semanas sábado, a barriga já desponta e eu desfilo com ela pelas ruas de Santos toda orgulhosa (aLouca), mas acho que tudo tá passando meio rápido (aLouca2)… Já estou na metade da gestação (mais ou menos) e já sei que sentirei falta da barriga, é muito gostoso!

Comecei a fazer Pilates em casa, com uma fiso MARAVILHOSA especialista em gestante, que tb faz acupuntura e é Doula, grandes chances dela me doular no parto, só to esperando o marido sair de férias (final de setembro) pra eles se conhecerem e fecharmos direitinho.

Logo logo eu posto uma foto atual da barriga pra vocês verem como o Pedrão está se desenvolvendo *hauahauahuahauhau*

Beijocas

Sobre o Parto – Parte II a Decisão final!

Olá, meninas!

Eu sumi, né? Foi um misto de preguiça com dias cheios, mas agora voltei!

Continuando o assunto “Parto!”

No dia 10/07  fomos eu e marido ao local onde a obstetriz atende, a princípio íamos conversar com ela e com a enfermeira obstetra que trabalha junto com ela, mas a enfermeira teve que ir atender uma gestante que poderia estar em TP e não pode comparecer, ela me avisou e perguntou se queríamos alterar a data, mas estava tão ansiosa em sanar as dúvidas e ver como funcionava todo o negócio que preferi conhece-la logo e depois conheceríamos a EO.

Chegamos lá e uma mocinha com cara de 18 anos (ela tem 25 na verdade *hauahauhau*) nos atendeu, como já havia visto o perfil dela no facebook, reconheci. Ela é toda acelerada, fala rápido e sempre sorrindo, nos encaminhou a sala dela e conversamos por mais de 2 horas.

Ela explicou que se formou pela USP, que quando decidiu trabalhar com PD ela fez mais três cursos complementares: reanimação neonatal, reanimação da mãe e um, que eu não lembro o nome, que mostra tudo que pode dar errado durante um parto e como reverter o quadro sem ter que remover pro hospital ou os primeiros socorros até chegar ao hospital.

Contou também que quando se formou quis voltar a Santos e trabalhar aqui, onde a família dela mora e procurou hospitais para ser voluntária e GOs que ela sabia serem humanizados (inclusive um faz parte da equipe, caso a remoção pro hospital seja inevitável) e nisso ela conheceu a EO, ambas resolveram trabalhar juntas, sempre atendendo juntas.

Apesar da carinha de menina ela passa uma segurança que eu não senti em muitos GOs “renomados” que fui, ela também disse todo o procedimento pro registro do bebê após o nascimento e todos os “equipamentos” que elas levam para a cara da gestante. Ela acompanha os exames pré-natal para ver se tudo está ok, pois se não estiver ela mesmo indica um parto hospitalar. Também explicou como funciona depois que o bebê nasce.

Ficamos de ir na GO (já tinha a consulta marcada pra dia 15/07), pensarmos, vermos todas as opções e se decidíssemos pelo PD, falaríamos com ela.

Dia 15/07 fomos lindos e belos pra consulta com a GO (aqueeeeela que eu não tinha gostado no primeiro atendimento) e a consulta com ela foi legal, ela mediu, pesou, ouviu o bebê, fez anotações e tudo certo. A única coisa foi a DPP. Minha DPP (40 semanas) é dia 04/01, ou seja, a partir de 21/12 (38 semanas) todo dia é dia de nascer, quando ela viu a data me soltou a seguinte pérola: “Nossa, que época ruim de nascer, né? Natal, Ano Novo, não tem ninguém na cidade!” Eu e marido fizemos cara de alface e não falamos nada na hora.

Qdo fomos marcar a próxima consulta (que será amanhã) a secretária nos deu um papel que dizia que estávamos cientes que ela só estará a nossa disposição se pagarmos um valor que ninguém informou qual seria e que na próxima consulta ela me daria o contrato pra assinar.

Saímos de lá satisfeitos com a consulta, mas super decididos pelo PD.

Vamos continuar fazendo o pré-natal com essa médica mesmo, mas o parto será no conforto do nosso lar.

A princípio somente as mamães e irmãos que saberão que o parto será em casa, o restante da família só depois que nascer mesmo, vamos evitar a fadiga!

E foi assim, que de cesária, passamos ao parto normal, humanizado e em casa *hauahauahuahauahu*

Já to fazendo o post contando sobre o sexo… Confirmamos semana passada =D

Muitos Beijos e até logo!

Sobre o parto – Parte I.

Olá, meninas!!!

Duas vezes essa semana, to evoluindo! *kkkkkkkkkk*

Na verdade estava ansiosa pra contar pra vocês algumas resoluções que eu e o marido tomamos nas últimas semanas, quis esperar a consulta pra contar tudo com muitos detalhes.

Pelo jeito terei que dividir em dois posts, percebi que nunca falei muito sobre parto aqui.

Vamos começar do começo: Desde antes de engravidar eu já lia muito sobre gestação, por conta de uma amiga que teve gêmeos de parto normal e uma outra que resolveu ter um blog (sim, conheço a mãe do Bernardo desde 2 anos e meio de idade), foi por causa delas que eu mudei radicalmente de opinião quanto ao parto.

Inicialmente eu queria cesárea de qq forma, pois sempre sinto muita dor em tudo (tipo, tirar sobrancelha, sabe?) e minha mãe sempre disse que o PN era o melhor (ela teve quase 3, o último estava sentado a 27 anos atrás e a única forma que o médico dela conhecia pra virar, ela não quis e ainda fez uma ligadura de trompas, ela é tranquila com esse último parto pq teve TP quase completo.), que era dor sem vergonha, que depois que o bebê nascia a dor sumia e que a recuperação de cesa era beeeeem tensa, mas o meu pânico se sentir dor ainda falava mais alto (pq a gente nunca ouve a mãe mesmo???)

Aí as duas moças citadas acima tiveram seus bebês em lindos partos normais com poucas intervenções, comecei a seguir o Blog da Paty e a conversar muito com a mãe dos gêmeos sobre esse assunto e fui mudando de ideia, fui pesquisando, lendo, pensando e nesse tempo entendi que o melhor pro meu filho que viria seria sim o PN, de preferência humanizado. Logo já comentei com o marido e ele super apoiou, pois fez uma cirurgia de retirada de hérnia e, apesar de ser uma cirurgia menor e menos invasiva que a cesárea, disse que se dependesse dele eu nunca teria uma cesárea, pois a recuperação era mega restritiva (muito amor esse marido… <3)

Então, eu estava feliz e contente procurando um GO humanizado aqui pela baixada e que atendesse pelo plano, pq a $ tá meio curta e a gente já sabia que teria que pagar pelo parto (que não é barato), nessas buscas eu comecei a ler sobre as intervenções que os hospitais fazem no bebê, o colírio desnecessário, o bebê ser afastado da mãe, o risco de darem LA no berçário, além do receio de não deixarem meu marido acompanhar o parto… Nessa hora os hospitais não são assim, super confiáveis… Infelizmente!

No facebook sigo várias páginas sobre maternidade e na página “MenasMain” comentaram sobre um grupo ativista do parto humanizado chamado “Cesárea? Não Obrigada!“, me interessei e entrei lá pra olhar. Descobri um grupo nacional de apoio a gestante que deseja um parto humanizado, realmente muito legal.

Lá, eu vi o vídeo e o relato de parto do Blog Potencial Gestante e me apaixonei pelo parto domiciliar dela, eu sempre tive receio de assistir vídeos de parto natural, o dela foi o primeiro e realmente me surpreendi por ter gostado.

Comecei a pensar na ideia, mas os valores e equipes aqui na baixada ainda me eram desconhecidas, achava que se um parto estava entre R$ 2.500,00 e R$ 7.000,00 imagina um parto em casa, com toda a estrutura? Só a Gisele Bündchen pra conseguir =D

Então, lá nesse grupo eis que surge uma moça que teve uma cesárea desnecessária e o bebê dela teve que ficar por dias na UTI, pra ela foi muito traumatizante e grávida novamente ela decidiu pelo PD, quando disse que era de Santos ela conversou comigo, disse quanto estava pagando pelo PD e me deu os contatos.  Pensei: Agora é só conversar com o marido e ver o que acontece, já fui meio preparada pra brigar argumentar com ele.

Cheguei comentando da moça do grupo, dos valores que ela me falou , que ela me passou o contato da obstetriz e que eu estava pensando em PD por que não estava feliz com os procedimentos em relação aos bebês, ele (emponderado que é) ouviu e falou:

– Marca com ela, a gente vê como funciona, tira as dúvidas, conversa sobre espaço (ap com 70m2) e valores. Se a gente achar que é seguro, não vejo por que não fazer em casa.

Pensa na louca pessoa mais feliz do mundo… Logo marquei com a Obstetriz e com a Enfermeira Obstetra que atende com ela para nos conhecermos e tirarmos as dúvidas.

O encontro foi dia 10/07, mas vou deixar pro próximo post, esse já está muito gigantesco.

Se você chegou até aqui, tem minha eterna admiração *hauahuahauahuahua*

Muitos Beijinhos e logo volto com a continuação.

Bom fim de semana!

BC – A suspeita e descoberta da gravidez

Olá, meninas!

Vi que hoje era dia de blogagem coletiva e resolvi contribuir *hauahuhauahuahauhau*

Suspeita e descoberta da gravidez.

Na verdade eu só suspeitei que estava grávida depois do 3º dia de atraso da Miss Red, pois esse foi o único sintoma que eu tive… Nada de seios doloridos, náuseas e nem nada!

A missa red deveria aparecer dia 26/04 (uma sexta), como o mês anterior atrasou dois dias, estava achando normal. Na terça feira a tarde comentei com o marido que estava atrasada e que tinha comprado o teste pra fazer no dia seguinte.

Na quarta de manhã (feriado de 01 de Maio) fiz xixi no palitinho e após os 5 minutos, apareceram as 2 listrinhas rosa, acordei o marido (e tudo o que eu sempre pensei em usar pra contar pro marido foi por água abaixo) e mostrei o exame a ele que só entendeu depois de uns 2 minutos, a cara dele foi bem engraçada, mas ele ficou super feliz com a descoberta.

Foi bem emocionante.

Foi assim que descobrimos que nosso bebê estava a caminho. =D

Beijocas

13 Semanas + US Morfológica!

Olá, meninas….

Hoje iniciamos a 13º semana, mas ainda não sei se já estou no segundo semestre *ahuahauhauahu*. Tenho 2 apps no cel, um diz que é primeiro semestre e o outro diz que é segundo!

Com 13 semanas ainda tenho enjoos as vezes e as “crises” de azia se intensificaram, os seios estão tipo 3D e bem doloridos.

Ainda não comprei cremes anti-estrias, mas estou querendo ver isso logo, além de começar a olhar carrinho, cadeirinha pro carro, berço, sling e outros “acessórios”

Fiz a US Morfológica com 12 semanas e, segundo a médica, está tudo certinho. Ela também disse que só teremos certeza do sexo a partir de 16 semanas, mas ela sugeriu que será um MENINO! Por que ela sugeriu eu não entendi, aguardemos a próxima US que eu nem sei qdo será ainda…

Ontem ganhei um kit da Natura mamãe e bebê da minha sócia e madrinha honorária, mas o item mais legal de todos foi a mochila no lugar da “bolsa do bebê”, ela é verdinha e linda! Apaixonei…

Boa Semana a todas e rumo ao segundo trimestre!

Beijocas